Textos


APARENTEMENTE DESOCUPADOS


Acordo pensando em Deus e me lembro de que descrentei de religião...
Agora somos só eu e Ele na imensidão;
Se Jesus tivesse tido um emprego, uma categoria que o respaldasse, talvez não tivesse sido morto tão desumanamente pelos costumes já daquela época!

Aos aparentemente desocupados pesa sina.
Falar de transcendências é dizer ao vento e os que compreendem, estão sempre acordados à hora do galo cantar na madrugada e a covardia do momento toma a alma amedrontada.

Não foi a parte divina que matou Cristo, foi sua porção humana, incompreendida que o sacrificou em sua trajetória:
É inconcebível desde antes, que se tenha ideias ou que saiba o que ninguém mais não acredita.
Demora séculos para a digestão mental ao novo, ao inusitado...

Crer em Deus, mas sem a "estória" do Pai que traz seu Filho ao mundo para que morra pela humanidade - crer em Deus Natural, que tanto é pai para um, quanto para todos igualmente, como a chuva cai em todos os telhados, respeitando as fragilidades humanas, sem exigir força maior do que a capacidade de sentir na pele e sobreviver.

Sei pouco de outras crenças, descobri amar a Deus sem bula à essa espécie de remédio que cura a alma, o espírito, da lida diária... e que muitos recriminarão ao saber como é a minha devoção à Este onipresente que me acompanha e me rege a inspiração;

É o mais que eu tenho!


 
Ene Ribeiro
Enviado por Ene Ribeiro em 09/06/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários