Textos


O CIDADÃO COMUM


Cada parte do que contém o Brasil, é uma faceta de diamante: os três poderes, a sociedade organizada, os partidos políticos, os sindicatos, as entidades de classe, etc e o cidadão comum, aquele que não está engajado no processo político especialmente e que tem se dirigido às urnas em época de eleição, mais pela obrigatoriedade do voto, porque se for por ele mesmo, está descrente de tudo...

É sobre este cidadão comum que quero falar -
Ele está meio alheio, apesar de não ser ignorante e quando volta os seu olhar para o cenário nacional, sente vergonha de certas coisas que andam acontecendo.
Está enojado do mecanismo político, não tem mais paciência para os noticiários, nem para a programação das tvs, sente no bolso os efeitos da economia no país e chega a ter medo quando pensa em futuro breve.

{Se as tvs são concessões, não era para o governo exigir que pelo menos mantenham um certo nível e não atrapalhem a cultura do nosso povo?
Não era para os noticiários deixarem de só tratar de más notícias e começarem a buscar pauta profíqua, além de só picuinhas?}

O cidadão comum é refém do sistema!
Ele não tem onde se apoiar, não tem a quem se socorrer e se vê sem respeito na sociedade. Não vale de nada, desde que inventaram que para ter voz, tem que pertencer a um grupo organizado.
Ele sabe a sua força enquanto cidadão, mas sobretudo a classe política não lhe dá valor e se aproveita dele apenas quando de um novo pleito.

Esse cidadão não foi levado em conta na época da Abertura ainda no governo militar; os militares entregaram o poder aos civis e não quiseram saber o que este cidadão achava daquilo. Muitos não concordavam, mas o barulho dos que hoje são políticos, abafou a sua voz.
Também não é levado em conta nos dias atuais, onde se você não está engajado em nada, não merece consideração.

Muitos são os que ficam perdidos entre tanta oferta de maus políticos, alguns sem o menor preparo para os cargos que pleiteiam, sem garantia alguma por parte da Justiça Eleitoral (que homologa as candidaturas), de que vão cumprir seus mandatos se eleitos, pautados no que o povo espera deles e não como força de grandes grupos que sempre dão um jeito de estar por trás...

O cidadão comum é quem sofre no cotidiano, entra ano e sai ano, entra mandato e sai mandato.

A classe política especialmente, é a mais em descrédito da opinião pública e mesmo assim, o cidadão comum ainda está abaixo dela, nunca conseguiu se valorizar com responsabilidades exigidas e enfraquecido, só lhe resta deixar correr frouxo, porque afinal, aqui é Brasil e é assim mesmo que o sistema quer:
Um diamante mal lapidado, para que o valor seja fácil de negociar.




 
Ene Ribeiro
Enviado por Ene Ribeiro em 08/06/2021
Alterado em 08/06/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários