Textos

TAÍ


Hoje volto no tempo, dia de festa, um típico advogado americano, uma rampa descascada, lugar de beiju na panela... os nomes repetidos, o velho retirando do carro sua preciosidade e cá estamos nós, todos sabendo agora o peso das tantas verdades!

Máquinas de costuras, serralherias, caçando tatu nos matos da periferia... no pé de pau, amarrada criança, às vezes escondida no baú de dona maria, panelas derretidas, aliança recusada!

Tantos deuses e seus olimpos de farinha.

O menino de olhos azuis, morto por displicência, culpa de um delegado fajuto, meia tigela em todos os sentidos.

Aceitei a empreitada porque UF estava em jogo e eu sabia que não perderia todas as aulas que foram bem aprendidas.

Taí a desordem dos círculos e seu padre pançudo da quadrilha da festa junina.
Ene Ribeiro
Enviado por Ene Ribeiro em 13/11/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários