Textos



 

 ASSIM O ANO CHEGOU

Esse ano comecei com os dois pés no chão e a cabeça centrada no agora; nada de planos mirabolantes, nem expectativas infundadas...
O ano de 17 me trouxe decepções demais para o que almejei, então decici viver cada dia de uma vez.

Não fiz comemoração de ceia na virada - pela primeira vez comemorei no almoço do dia 31 a despedida do ano que findava, assim, quando foi na passagem da hora, eu já estava com a comida toda pronta e sem cheiro de cozinha em mim.

Não saí para ver os fogos que os mais entusiasmados soltam pelo céu; fiquei em casa só ouvindo o barulho e descobri que meus ouvidos não compreendem essa algazarra.

Não estou pessimista quanto ao que virá, só quis fazer diferente de todo mundo, que à meia noite está suado de forno e com a casa cheirando a assado; fiquei cheirosa, com uma roupa leve, satisfeita com o que tenho e como estou: nada de promessas a serem cumpridas pelos meses afora... o que tiver que ser será!

Longe das grandes expectativas, passei uma noite tranquila, em paz comigo mesma, sem aporrinhação de artificialidades sociais e estou perfeitamente satisfeita com essa maneira de encarar a chegada do ano.

Evitei mandar mensagens aos amigos, só a uns escolhidos a dedo por questões diversas e curti todas que recebi, até me surpreendendo por algumas inesperadas.

Quero para esses 365 dias que virão, a calma doméstica e a presença de quem o destino mandar, sem ter que procurar, insistir ou sentir falta.
Assim começo o ano, em estado de agradecimento.

Feliz 2018 a todos!

 


 
Ene Ribeiro
Enviado por Ene Ribeiro em 01/01/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários